Índia bane filme sobre empoderamento feminino

O Conselho Central de Certificação de Filmes da Índia (CBFC, na sigla em inglês) negou o lançamento nos cinemas do premiado filme sobre empoderamento Lipstick Under My Burkha (O Batom debaixo da minha Burca, em tradução livre).

Ele venceu em 2016 o Spirit of Asia Award no Festival de Cinema Internacional de Tóquio, e o Oxfam Award no Festival de Cinema de Mumbai por melhor filme sobre igualdade de gênero.

poster filme india lipstick under my burkha empoderamentoNa carta da CBFC destinada ao produtor do filme, Prakash Jha, o Conselho afirma (via Variety) que “a história é orientada para a mulher, sua fantasia sobre a vida. Há muitas cenas de sexo, palavras abusivas, sons pornográficos e um toque pouco sensível sobre uma determinada parte da sociedade, daí o filme recusado.”

Dirigido por Alankrita Shrivastava, ‘Lipstick…’ acompanha a vida secreta de quatro mulheres de diferentes idades em uma pequena cidade na Índia: uma universitária vestida de Burca, uma jovem esteticista, uma mãe de três filhos e uma viúva de 65 anos.

Embora se sentindo presas e sufocadas em seus próprios mundos, elas buscam reivindicar algum tipo de liberdade através de pequenos atos de coragem e rebeldias furtivas.

O diretor está agora na Escócia, em razão do lançamento do filme no Reino Unido no Festival de Cinema de Glasgow, que ocorre hoje, dia 24. De lá, disse para a Variety que “este é um ataque ao direito das mulheres de contar suas histórias, do ponto de vista feminino.”

“É também um claro ataque à liberdade de expressão. A Índia está tão impregnada na sua discriminação contra as mulheres, que se torna evidente em tais decisões.”

“Em um país onde há tanta violência contra as mulheres, e esse ‘padrão duplo’ para as elas [esse conceito pode se referir a determinadas regras ou leis injustamente aplicadas de diferentes formas em diferentes grupos da sociedade], em vez de incentivar as histórias das mulheres contadas por elas mesmas, nossas histórias são sufocadas.”

O CBFC afirma ainda que o filme transgrediu suas diretrizes sobre “vulgaridade, obscenidade ou depravação”, “cenas degradantes ou denigrantes”, “violência sexual contra as mulheres”, “perversões sexuais e visuais ou palavras desprezantes de raça, religião ou outros grupos.”

“Eu vou batalhar e farei o que for preciso para assegurar que o público da Índia possa prestar atenção ao filme”, disse Shrivastava. Inclusive, o produtor Jha tem agora a opção de recorrer ao Tribunal de Apelação de Certificação de Cinema (FCAT, na sigla em inglês). Ele fez isso ano passado (e ganhou) depois que seu filme da Indonésia Jai Gangaajal também foi censurado pela CBFC.

Confira abaixo o trailer de ‘Lipstick…’, com legendas em inglês:

Censuras na Índia

Como se sabe, a Índia já censurou várias outras produções em seu país, como o recente Moonlight: Sob a Luz do Luar, nomeado ao Oscar 2017 em oito categorias, incluindo a de Melhor Filme. A produção teve alguns palavrões silenciados, um corte de uma cena de sexo heterossexual e outro corte de uma cena de beijo do mesmo sexo.

Em um outro caso, em 2012, a Sony Pictures teve que cancelar o lançamento de Millennium: Os Homens que Não Amavam as Mulheres, em razão do diretor David Fincher ter se recusado a cumprir os cortes determinados pela CBFC.

Um outro exemplo, mais recente, é o do filme indiano Udta Punjab, lançado em 2016. Ele também chegou a sofrer censura, e mesmo com a interferência do Tribunal Supremo de Bombaim, foi exibido com um corte.

Dirigido por Abhishek Chaubey, conta a história de uma estrela de rock e sua relação com o abuso de drogas no norte do Estado indiano de Punjab. O filme aborda como os jovens sucumbiram ao vício em razão de um declínio socioeconômico sofrido na região.

Confira o trailer abaixo (sem legendas):

Artigos Relacionados

Deixe um comentário