Fim de uma geração: O adeus ao Studio Ghibli está próximo?

anime vidas ao vento 2013 studio ghibli

O Studio Ghibli tem encantado plateias de todo o mundo e de todas as idades desde a década de 80. Seus filmes de anime, a maioria criados pelo ilustre Hayao Miyazaki, marcaram a infância de muitas pessoas, e trouxeram de volta para os adultos bons tempos inocentes quando eles ainda eram crianças.

Acompanhar as aventuras da Princesa Mononoke (1997) era uma verdadeira lição de vida. Viajar com a turma de O Castelo Animado (2004) era uma experiência maravilhosa e única. E Chihiro, então? Não foi incrível estar ao lado dela naquela jornada de transformação em um mundo mágico que fez todos nós desejarmos nunca ter acabado?

Tudo que o Studio Ghibli lançou certamente ficará para sempre nos nossos corações, e com certeza os filmes continuarão presentes nas futuras gerações. Mas será que vem mais filmes por aí ou já podemos dizer adeus?

Para tentarmos prever qual é o futuro do Studio Ghibli, vamos entender o que de fato aconteceu e por que essa hipótese se tornou real.

Vamos começar a partir de 2013, com o lançamento de Vidas ao Vento. Enquanto isso, você verá algumas fotos de alguns animes para matar a saudade.

A aposentadoria de Hayao Miyazaki

O Conto da Princesa Kaguya (2013): A história de uma princesa nascida no campo através de um bambu, forçada a viver na realeza e a abandonar o passado.

O Studio Ghibli começou a passar por mudanças logo depois de Hayao Miyazaki ter anunciado sua aposentadoria em 2013. A especulação de que nenhum filme seria lançado ganhou força, entristecendo milhões de fãs ao redor do mundo.

Entretanto, depois de ‘Vidas ao Vento’ e de O Conto da Princesa Kaguya, de Isao Takahata – ambos lançados em 2013 e que supostamente seriam os últimos trabalhos -, um outro anime foi lançado pelo estúdio no ano seguinte: As Memórias de Marnie, do diretor Hiromasa Yonebayashi. Este foi anunciado oficialmente como o último.

Enquanto continuava o suspense sobre a possibilidade de novos animes serem feitos, uma série de TV era lançada paralelamente: Ronja, the Robber’s Daughter (Sanzoku no Musume Ronya). A série já era planejada desde o início de 2014, e foi lançada no canal japonês NHK dois meses depois do Studio Ghibli anunciar que daria “uma pausa” para reavaliar e reestruturar a empresa, em razão da saída de Miyazaki da equipe (o diretor é um dos fundadores da empresa).

Esta série de TV é baseada no livro ‘Ronja, Filha de Ladrão’, do autor Astrid Lindgren, e conta a história de Ronja, uma aventureira menina de dez anos que cresce entre ladrões. Um dia ela se torna amiga de Birk, a filha do principal rival de seu pai, dando início a um conflito entre amizade e lealdade à sua família. A série foi dirigida por Gorō Miyazaki e exibida entre outubro de 2014 e março de 2015. O anime também está disponível no serviço de streaming da Amazon desde janeiro de 2017 (em inglês).

foto-anime-o-castelo-animado-2004-studio ghibli
O Castelo Animado (2004): A emocionante história de Sophie, uma jovem de 18 anos que foi enfeitiçada e que agora tem 90 anos. Ela parte em uma aventura ao lado dos moradores de um fabuloso castelo animado.

Como podemos observar, ‘As Memórias de Marnie’ ainda permanece como o último filme do Studio Ghibli até agora, embora tenha surgido alguns indícios de que o estúdio ainda não está pronto para fechar as portas definitivamente.

O retorno de Hayao Miyazaki?

Um desses indícios veio do próprio Miyazaki, que recentemente anunciou estar pensando em deixar a aposentadoria.

Em um especial de TV exibido em novembro de 2016 na NHK, no Japão, intitulado Owaranai Hito Miyazaki Hayao (O Homem que não Acabou: Hayao Miyazaki, em tradução livre), o diretor revelou que está produzindo um curta-metragem para ser exibido especialmente no Museu Ghibli ainda este ano.

O filme se chama Kemushi no Boro (Boro Caterpillar), e segundo Miyazaki, o projeto vem sendo planejado por quase vinte anos e terá cerca de 12 minutos de duração. O diretor descreveu o desenho como “uma história de uma pequena lagarta, peluda, tão pequena que poderia ser facilmente esmagada entre os dedos.”

E não é só isso: o que realmente está motivando-o a largar a aposentadoria é a sua vontade em justamente transformar esse curta em um longa, e lançá-lo em 2019 antes do início das Olimpíadas de Tóquio em 2020. Nada, porém, ainda foi confirmado: nem se o curta já está finalizado e nem se ele vai mesmo virar um longa-metragem.

Uma nova era de animes vem aí?

foto-anime-o-servico-de-entregas-da-kiki-1989-studio ghibli
O Serviço de Entregas da Kiki (1989): O filme contou a história de uma bruxinha de 13 anos, que precisou se mudar para uma nova cidade para aprender a se virar sozinha.

Enquanto Miyazaki pensa se vai ou não largar a aposentadoria definitivamente, outros animadores do Studio Ghibli também passaram por mudanças, a fim de manter a carreira caso o estúdio chegue ao fim.

Foi o caso de Yoshiaki Nishimura, que deixou Ghibli e fundou um novo estúdio de animação: o Studio Ponoc, com sede em Tóquio.

Ele o inaugurou em abril de 2015 e levou com ele uma leva de animadores que também faziam parte do Ghibli. O nome ‘Ponoc’ veio da palavra croata que significa “meia-noite”, em alusão ao início de um novo dia.

O primeiro anime da nova empresa já está a todo vapor e ganhou até um trailer: trata-se de Mary and the Witch’s Flower (Mary e a Flor da Bruxa, em tradução livre), previsto para ser lançado durante o verão japonês de 2017. Ele vai ser baseado no livro The Little Broomstick, da autora Mary Stewart, e o responsável pela direção será Hiromasa Yonebayashi, o mesmo de ‘O Mundo dos Pequeninos’ e ‘As Memórias de Marnie’. O roteiro será de Riko Sakaguchi, o mesmo que criou o roteiro de ‘O Conto da Princesa Kaguya’.

Studio Ghibli e o desafio de novos concorrentes

Além da criação de um novo estúdio por parte de ex-animadores do Studio Ghibli, a existência de filmes de animes de outros diretores e companhias que estão fazendo sucesso nas bilheterias, também indicam uma considerável dificuldade do Ghibli em voltar a ativa como nos velhos tempos. Dois exemplos que podem ser dados são os filmes A Tartaruga Vermelha e Your Name (Kimi no Na Wa), que vêm conquistando o Japão e o mundo desde sua estreia em 2016.

‘A Tartaruga Vermelha’, apesar de ter na produção a participação do Studio Ghibli, é um anime produzido por 6 estúdios franceses e belgas (incluindo a Wild Bunch). Ele conta a história de um homem perdido em uma ilha deserta lutando por sua sobrevivência, até o dia em que tudo muda quado ele encontra uma grande tartaruga. O filme foi premiado no Festival de Cannes em 2016 e está previsto para estrear no Brasil dia 02 de fevereiro de 2017. Não dá para criar muitas esperanças só pela participação do Ghibli neste filme, uma vez que ele entrou mais como suporte e referência do que como atuante na frente do projeto.

foto-anime-a-viagem-de-chihiro-2001-studio ghibli
A Viagem de Chihiro (2001): A história de uma menina mimada que precisa amadurecer para salvar os seus pais, que foram transformados em porcos em uma cidade aparentemente despovoada.

Já ‘Your Name’ é um outro anime que está fazendo bastante sucesso, principalmente no Japão. Ele se tornou naquele país o quarto filme de maior bilheteria de todos os tempos, o secundo filme japonês de maior bilheteria e o segundo anime de maior bilheteria (atrás apenas de ‘A Viagem de Chihiro’). Do diretor Makoto Shinkai (5 Centímetros por Segundo), conta a história da garota Mitsuha e do menino Taki, que um dia sonham que trocaram de corpos e que desde então passam a viver o estilo de vida do outro.

foto-anime-tumulo-dos-vagalumes-1988-studio ghibli
Túmulo dos Vagalumes (1988): A comovente história de dois irmãos tentando sobreviver em um Japão assolado pela guerra.

O sucesso desse anime foi tanto que sua arrecadação pelo mundo superou o filme de Hayao Miyazaki, ganhando cerca de US 281 milhões e se transformando no filme de anime de maior bilheteria do mundo.

Toda essa repercussão positiva levantou algumas questões sobre se o diretor Makoto Shinkai seria um “pós-Miyazaki”.

Durante uma entrevista no Festival Internacional de Busan, em outubro de 2016, ele respondeu: “Isso é superestimação. Os filmes de Miyazaki têm valor e poder como uma marca única. Vou apenas continuar a fazer filmes que muitas pessoas possam desfrutar.”

Rumores sobre uma possível parceria entre ele e o Studio Ghibli também chegaram aos seus ouvidos, os quais ele também negou: “Não, e eu não acho que eles iriam me convidar.” Shinkai ainda afirmou que seu estilo e o do Studio não são nada parecidos. Enquanto os dele são “uma série de stop-motions”, os do Studio Ghibli são “artesanatos” que dão vida para os personagens.

Tal declaração de Shinkai descartou, portanto, pelo menos por enquanto, uma possível reinvenção do Studio Ghibli através de animadores que estejam em alta no mercado.

Conclusão: O que esperar?
foto-anime-a-viagem-de-chihiro-2001-studio ghibli
A Viagem de Chihiro (2001): Todo começo tem um fim.

Como vimos, desde que ‘As Memórias de Marnie’ foi lançado em 2014, muitas mudanças ocorreram dentro e fora do Studio Ghibli. Os animadores da equipe lançaram projetos paralelos, trabalharam com outras produtoras e fundaram um novo estúdio. O mercado de animes, que sempre foi uma indústria forte no Japão, continuou se expandindo sem esperar o Studio Ghibli recuperar sua força antiga, criando a expectativa se ele conseguirá voltar com a mesma presença de antes.

O Studio Ponoc desponta aqui como a grande promessa para os próximos anos, visto como aquele que vai prosseguir com o estilo do bom e velho Ghibli, sem deixar de considerar a necessidade de inovar e acompanhar as mudanças externas desse nicho de mercado. Só nos resta esperar que Hayao Miyazaki tome enfim uma decisão e que ‘Mary and the Witch’s Flower’, o novo anime do Studio Ponoc, consiga reavivar as esperanças dos fãs do eterno Studio Ghibli.

foto-studio ghibli-todos-os-personagens-reunidos
Studio Ghibli: Todos os personagens

Artigos Relacionados

Deixe um comentário